Errais por não conhecerdes as Escrituras! - Jesus Cristo

quinta-feira, 23 de março de 2017

Reis e Profetas 06


 



O profeta Eliseu, que estava diante da face de Deus e atuava poderosamente diante dos homens, ficou morando nas terras de Israel, onde Adonai irá realizar muitos milagres através desse grande servo. E, enquanto o profeta Eliseu trabalhava de um lado, Jeú, a quem ele mandara um discípulo seu ungir rei de Israel, começava a agir.
  E guiando sua biga furiosamente diante do seu pequeno exército, Jeú se dirige para onde, informaram, estavam juntos os reis de Israel e o de Judá. Jorão, rei de Israel, filho de Acabe e de Jezabel, fora ferido em luta contra os sírios e voltara a Jizreel, para se curar. Josias, rei de Judá, sabendo disso, foi visitá-lo.
  A sentinela do castelo de Jizreel deu o aviso que uma tropa se aproximava. Enviaram três homens para saber se o pequeno grupo vinha em paz. Jeú respondia ásperamente ao soldado e mandava ele se juntar ao grupo. E assim foi com os três, até que os dois reis sairam ao encontro de Jeú. Quando Jorão viu que Jeú vinha determinado à luta, gritou para Acazias e os dois intentaram fugir.
  Jeú tirou seu arco e atingiu Jorão nas costas. A flecha lhe atravessou o coração. Passando no galope, Jeú gritou a alguns soldados para que pegassem o corpo de Jorão e o atirassem no campo de Nabote, para que as aves do céu comessem suas carnes, pois assim o Senhor determinara aos da casa de Acabe.
  E, aproximando-se de Acazias, Jeú gritou a outros soldados para matá-lo, mas a este deviam sepultar, pois era da casa de Judá. E Jeú, sem parar adentrou violentamente pelas portas de Jizreel, onde sabia, estava a rainha. Jezabel, já informada de tudo, pintou os olhos, ornou-se e foi até a sacada, onde procurou chamar a atenção de Jeú. Junto dela estavam dois ou três criados, para os quais Jeú gritou: - Peguem-na e a atirem daí pra baixo! – Os criados pegaram a rainha e a jogaram da sacada e seu corpo arrebentou-se sobre as pedras lá embaixo, salpicando de sangue a parede e os cavalos.
  Jeú passou com o cavalo por cima dela e entrou a comer e a beber. Depois disse: - Olhai por aquela maldita, e sepultai-a, porque é filha de rei. - Foram, pois, para a sepultar; porém não acharam dela senão a caveira, os pés e as palmas das mãos. Então voltaram, e lho disseram. Pelo que ele disse: Esta é a palavra do Senhor, que ele falou por intermédio de Elias, o tisbita, seu servo, dizendo: No campo de Jizreel os cães comerão a carne de Jezabel, e o seu cadáver será como esterco sobre o campo, na herdade de Jizreel; de modo que não se poderá dizer: Esta é Jezabel!
  E Jeú ainda matou todos os profetas e adoradores de Baal em toda a terra de Israel e o Senhor, satisfeito com ele, prometeu que até a quarta geração, seus descendentes reinariam sobre Israel.

quarta-feira, 22 de março de 2017

Reis e Profetas 05








Antes da morte de Acabe, houve uma seca muito grande em Israel. Durou anos. Tal tragédia, é claro, era pelos pecados de Acabe e do povo, que se perverteram atrás de ídolos, abandonando o Deus de Israel. Não bastasse a abominação de adorarem ídolos, eles também mataram todos os profetas do Senhor, restando vivo àquela época, somente Elias.
  E a palavra do Senhor veio a Elias para que ele fosse ao rei e dissesse que Deus ia mandar chuva, terminando com a longa e dolorosa estiagem. Elias foi e, ao encontrar com Acabe, ele falou da chuva e disse para Acabe enviar todo o povo de Israel ao Monte Carmelo, como também os 450 profetas de Baal e os 400 profetas de Asera (estes 400 profetas a Bíblia não cita o que lhes aconteceu. Na sequência, somente os profetas de Baal são citados).
  Então Acabe convocou todos os filhos de Israel, e reuniu os profetas no monte Carmelo. E Elias se chegou a todo o povo, e disse: Até quando coxeareis entre dois pensamentos? Se o Senhor é Deus, segui-o; mas se Baal, segui-o. O povo, porém, não lhe respondeu nada.
 Então disse Elias ao povo: Só eu fiquei dos profetas do Senhor; mas os profetas de Baal são quatrocentos e cinqüenta homens. Dêem-se-nos, pois, dois novilhos; e eles escolham para si um dos novilhos, e o dividam em pedaços, e o ponham sobre a lenha, porém não lhe metam fogo; e eu prepararei o outro novilho, e o porei sobre a lenha, e não lhe meterei fogo.
 Então invocai o nome do vosso deus, e eu invocarei o nome do Senhor; e há de ser que o deus que responder por meio de fogo, esse será Deus. E todo o povo respondeu, dizendo: É boa esta palavra.
 E, tomando o novilho que se lhes dera, prepararam-no, e invocaram o nome de Baal, desde a manhã até o meio-dia, dizendo: Ah Baal, responde-nos! Porém não houve voz; ninguém respondeu. E saltavam em volta do altar que tinham feito. Elias zombava deles, dizendo: - Clamai em altas vozes, porque ele é um deus; pode ser que esteja falando, ou que tenha alguma coisa que fazer, ou que intente alguma viagem; talvez esteja dormindo, e necessite de que o acordem.
 E eles clamavam em altas vozes e, conforme o seu costume, se retalhavam com facas e com lancetas, até correr o sangue sobre eles. Mas não houve resposta do ídolo deles...Então Elias disse a todo o povo: chegai-vos a mim. O profeta do Senhor reparou o altar do Senhor, que havia sido derrubado e tomou doze pedras, conforme o número das tribos dos filhos de Jacó. E com as pedras edificou o altar em nome do Senhor; depois fez em redor do altar um rego, em que podiam caber duas medidas de semente.
 Então armou a lenha, e dividiu o novilho em pedaços, e o pôs sobre a lenha, e disse: Enchei de água quatro cântaros, e derramai-a sobre o holocausto e sobre a lenha. Os homens fizeram isso por três vezes, de maneira que a água corria ao redor do altar; e ele encheu de água também o rego.
 Sucedeu pois que, sendo já hora de se oferecer o sacrifício da tarde, o profeta Elias se chegou, e disse: Ó Senhor, Deus de Abraão, de Isaque, e de Israel, seja manifestado hoje que tu és Deus em Israel, e que eu sou teu servo, e que conforme a tua palavra tenho feito todas estas coisas. Responde-me, ó Senhor, responde-me para que este povo conheça que tu, ó Senhor, és Deus, e que tu fizeste voltar o seu coração.
 Então caiu fogo do Senhor, e consumiu o holocausto, a lenha, as pedras, e o pó, e ainda lambeu a água que estava no rego. Quando o povo viu isto, prostrou-se com o rosto em terra e todos disseram: O senhor é Deus! O Senhor é Deus! Disse-lhes Elias: - Agarrai os profetas de Baal! Que nenhum deles escape! Os homens de Israel agarraram-nos e Elias os fez descer ao ribeiro de Quisom, onde os matou.
  A chuva veio forte e intensa sobre toda a terra de Israel e Elias, após matar os 450 profetas de Baal, teve que fugir, pois Jezabel o perseguiria com todo seu ódio, jurando matá-lo...
  Feito isso e depois da fuga, Elias é mandado pelo Senhor voltar a Israel para avisar Acabe do castigo que cairia sobre ele e sua posteridade e sobre Jezabel e o Senhor também manda Elias preparar a Eliseu como seu sucessor. Elias seria pouco mais tarde levado ao Céu num carro de fogo.

  O amor e admiração dos judeus pelo santo profeta de Deus é tanta, que em Israel até tempos atrás, não sei se ainda hoje, era costume deixar um copo de vinho fora da porta de cada lar em determinado dia do ano, para que o profeta bebesse...

terça-feira, 21 de março de 2017

Reis e Profetas 04






  No tempo que Josafá reinava sobre Judá, o rei Acabe, filho de Onri, reinava sobre Israel e, ele além de ser perverso e fazer o que era mau diante do Senhor, como o fizera seu pai, pra piorar casou-se com Jezabel, uma mulher de outro povo e adoradora de Baal. E Acabe adorava Baal e levaram todo Israel a pecar terrivelmente contra o Senhor.
  Jezabel dominava Acabe e este acabava fazendo mais maldade, como no caso da vinha de Nabote, que ficavam próximas ao castelo de Acabe. Este cobiçou a bela vinha e fez várias ofertas, todas recusadas por Nabote. Jezabel vendo o marido aborrecido por causa da vinha e sabendo deste o motivo, escreveu cartas em nome de Acabe aos anciãos para apregoarem jejum e chamarem dois filhos de belial para acusarem falsamente Nabote dizendo que ele blasfemara contra Deus. E que depois disso, o apedrejassem até a morte. E assim foi feito e Acabe tomou posse da vinha do pobre e inocente Nabote.
   Foi nessa época que Deus usou grandemente três homens, a saber, o profeta Elias, aquele que mais tarde seria levado pelos anjos ao Céu num carro de fogo, o profeta Eliseu, que também procedeu poderosamente, após o Senhor mandar Elias o preparar para ser seu sucessor e, por fim, Jeú, capitão do Exército de Israel, homem correto e valoroso guerreiro, a quem Deus mandou Eliseu ungir como rei de Israel no lugar de Acabe.
  Todos os demais capitães do exército de Israel apoiaram a unção de Jeú. Mas Acabe e a perversa Jezabel ainda de nada sabiam. O Senhor então mandou a Elias ir ter com Acabe e dizer-lhe que onde os cães haviam lambido o sangue de Nabote, lamberiam também o de Acabe. E mais disse Elias a Acabe: Jezabel será morta e seu corpo será devorado por cães no antemuro de Jizreel, cidade de Samaria onde estava o castelo de Acabe. E dos filhos de Acabe, sejam livres ou escravos, os que morrerem no campo as aves os comerão e os que morrerem na cidade, cães comeram de suas carnes. Não haverá sepultura para os descendentes de Acabe.
  Três anos depois Acabe entrou em guerra com o exército da Síria e no meio da peleja um arqueiro sírio retesou seu arco e atirou uma flecha a esmo. E ela foi encravar justamente entre as pregas da armadura de Acabe, ferindo-o gravemente. Os seus homens levaram seu carro para fora da batalha, mas ele morreu. Sepultaram-no e quando foram lavar sua biga no tanque de Samaria onde também se lavavam as prostitutas,  cães lamberam o sangue dele que escorria do fundo do carro de combate.  

Nota – Filhos de Belial - Belial é o rei-comandante do Sheol (parte das regiões infernais). Na demonologia cristã, é reconhecido como um antigo “anjo da  virtude”, que após a luta contra Miguel e seus anjos, foi expulso do Céu junto com Lúcifer e os demais seguidores deste. Belial foi transformado no demônio da arrogância e da loucura e é responsável pela luxúria, e foi por sua causa que as cidades de Sodoma e Gomorra caíram em tentação. Ele aparece na forma de dois anjos sentados em uma carruagem de fogo. De outra forma, no hebraico, filhos de Belial era uma referência a homens do mal, inúteis, filhos da indignidade e rebeldes.

segunda-feira, 20 de março de 2017

Reis e Profetas 03




   Como escrevi, Israel se formou na escravidão do Egito e depois, com a força do Senhor, apesar de Israel ser povo rebelde, eles foram conquistando seu espaço e o anjo do Senhor ia derrotando grandes exércitos à frentes dos israelitas, que começaram a lutar com pedaços de pau e pedra e depois  forjaram espadas e lanças e fizeram arcos e flechas e se tornaram grandes guerreiros.
  O povo de Deus sempre teve que lutar, pois seus inimigos foram muitos e são muitos até hoje. Então para o povo judeu, Israel é a razão máxima de suas vidas, um pedaço de terra para eles é como uma mina de ouro, pois através da persistência e do trabalho, eles, com as bênçãos de Adonai, fizeram do deserto em que os árabes deixaram suas terras, um grande jardim. Como diz o autor de Êxodus, Leon Uris, os árabes nada fizeram nos quase 2 mil anos que os judeus ficaram espalhados pela Terra. Para o povo árabe, abençoado com um grande território rico em petróleo, nada precisava ser feito. As riquezas e subsistência deles e de seus descendentes já estavam prontas no subsolo!
  O povo de Deus não teve essa moleza e por isso foi um povo guerreiro e é até hoje e, por ser um povo de dura cerviz, é o povo que mais trouxe sofrimento sobre si!
  Mas, voltando ao tempo dos reis, Judá teve o rei Asa, que fez o que era reto aos olhos do Senhor e foi abençoado. Asa lutou muito também contra vários inimigos. Uma de suas lutas espetaculares foi quando enfrentou um grande exército etíope. As forças eram terrivelmente superiores ao Exército do rei Asa. Ele olhou, analisou, deve ter pesado os prós e contras para atacar um exército daquele tamanho e de repente, virou-se para seu homens e disse: “Vamos atacá-los e que o Senhor Deus faça o que Lhe parecer melhor”!
E Asa avançou com seus homens sobre os etíopes e os derrotou!
  Na sequência do reinado de Asa, veio seu filho, Josafá, um rei também fiel ao Senhor, como seu pai e que conduziu em relativa paz o reino de Judá. Ele só teve uma aflição quando três exércitos, um de cada nação, se uniram para atacar Judá. Asa, que não era dado às guerras e nem tinha um grande exército, orou para Deus, junto com todo povo de Judá, em frente o Templo do Senhor em Jerusalém. Aquele Templo era o construído por Salomão que ao dedicá-lo ao Senhor, orou e pediu para que em qualquer situação, onde quer que estivesse, se alguém em aflição orasse em direção ao Templo, Deus em Seu Santo Trono ouviria e socorreria...
  E dessa maneira, usando as palavras do rei Salomão, Josafá pediu ajuda ao Senhor, falando sobre os três exércitos que caminhavam para destruir Judá. Assim que terminou a oração, o Espírito do Senhor se apossou de um profeta e falou através dele para que o rei não temesse, que aquela luta seria Dele. Que ninguém desembanhasse a espada. Que todos fossem de manhã ao vale onde os três exércitos acamparam, antes do ataque, para ver a grande libertação que o forte braço do Senhor iria fazer.
  De manhã o rei Judá e todo o povo sairam até um alto morro, de onde podia-se ver todo o vale. Os cantores do Templo iam à frente, tocando seus instrumentos e cantando e louvando o Todo Poderoso de Jacó. E, como o Senhor disse, assim foi. Os três exércitos foram estraçalhados. O Senhor fez com que eles mesmos se matassem uns aos outros à noite. Na confusão gerada pelo anjo do Senhor, cada um levantava a espada contra seu companheiro, pensando ser o inimigo. E assim, naquele dia, toda Judá viu o poder do Deus de Abraão, Isaque e Jacó.

domingo, 19 de março de 2017

Reis e Profetas 02



 No entanto Salomão, mesmo sábio, não conseguiu filhos que seguissem seu caminho de paz. Morto, assumiu o trono sobre as doze tribos de Israel, seu filho Roboão. Mas este era tolo e mau e deixando de ouvir o conselho dos anciãos, seguiu as tolices de seus jovens amigos, que cresceram com ele. Assim, quando o povo, tendo a frente Jeroboão, pediu para que Roboão baixasse os impostos que Salomão cobrava do povo....desde aquele tempo já era o povo que pagava as mordomias dos poderosos...Bem, Roboão então respondeu ao povo que se os impostos do seu pai eram pesados, os dele seriam muito mais.
  Então Israel se revoltou, voltando a ser uma nação dividida como antes. Roboão ficou reinando sobre Judá, com a tribo de Levi servindo no Templo e as dez outras tribos de Israel coroaram Jeroboão seu rei.
  E Roboão foi um rei que fez o mal diante do Senhor e Jeroboão fez ainda mais que ele, colocando bezerros de ouro e outros ídolos e fazendo amizade com povos abomináveis a Deus.
  Houve guerras entre Israel e Judá durante todo o reinado de Roboão e Jeroboão. Este, irou tanto ao Senhor com os pecados que levou Israel a cometer, que o Senhor amaldiçoou ele e todos os varões nascidos em sua casa, escravos ou não, falando por seu profeta Aías que todos que morressem na cidade, seriam comido pelos cães e, se morressem no campo, as aves do céu os devorariam. Eles não teriam uma sepultura.
  Esta maldição do Senhor somente se repetiria anos depois sobre a casa de Acabe, outro rei de Israel.

sábado, 18 de março de 2017

Reis e Profetas 01





 Pelas narrativas feitas até aqui, dá pra perceber que, como diz um ditado alemão, Deus dá as nozes mas não as quebra para você. Assim foi com o povo de Deus, que segundo disse um rabino que esqueci o nome, infelizmente, tem mais responsabilidade do que os gentios, como eles chamam as pessoas não nascidas em Israel.
  Abraão mesmo, o amigo de Deus, teve seu acampamento saqueado certa vez e juntou seus criados e partiu atrás dos saqueadores, que estavam levando bens e até pessoas que eram do acampamento do Patriarca. E Abraão os alcançou, lutou e venceu e recuperou tudo.
  Isaque, filho de Abraão, passava por aflições por causa de homens ruins que iam na calada da noite e enchiam os poços de água de pedra, obrigando Isaque ao pesado trabalho de abrir outros poços, pois a água no deserto é mais desejada que muitos tesouros. Seu valor é inestimável a homens e animais.
  Jacó, filho de Isaque, neto de Abraão, teve mais desgostos do que problemas. O maior foi sentir a perda do filho José, vendido como escravo para o Egito pelos próprios irmãos, por inveja e maldade. Para o pai eles disseram que uma fera havia atacado e matado José. Jacó quase morreu de tristeza e, ao fim da vida, teve a felicidade de encontrar o querido filho, não só vivo mas governador de todo o Egito! Jacó se reuniu aos seus sem saber da terrível ação que seus outros filhos fizeram com José...
  Após mais de 400 anos, surge Moisés a quem o Senhor usou para libertar e conduzir seu povo que àquela altura já era escravo dos egípcios. E o povo, que formava uma multidão de quase três milhões de almas, vagavam por planícies no deserto e assustava os outros povos, que lhe promovia guerras. E, naquele tempo ninguém de Israel sabia guerrear e nem armas tinha. Moisés teve que treiná-los e o Senhor dava a vitória a eles através do seu servo.
  Passada a peregrinação pelo deserto, que nós já narramos, Josué assume o lugar de Moisés e já entra na Terra Prometida guerreando com vários povos idólatras, os quais o Senhor não queria que Israel tivesse convivência com eles, pois eles adoravam os mais variados deuses e faziam sacrifícios humanos a seus ídolos.
  Gideão, juiz de Israel tempos depois de Josué, teve que lutar também com vários exércitos que queriam acabar com o povo de Deus. Mas o Senhor ia dando vitórias e mais vitórias ao seu povo, tornando-o temido e fazendo que os povos temessem Adonai, o Deus de Israel e terror de Jacó!
  Quase todos os juízes lutaram contra inimigos de Israel. Depois, na época dos reis, Saul continuou guerreando contra outros povos e teve várias vitórias, até que o Senhor se afastou dele e ele foi derrotado, com todo o exército de Israel. Mas Davi, que já havia sido ungido rei por Samuel a mando do Senhor e que vivia foragido pelas montanhas pois Saul lhe dedicava ódio mortal, assumiu como rei, primeiro em Judá, tribo à qual pertencia e depois, com suas vitórias sobre os inimigos, as restantes dez tribos de Israel se uniram a ele e combateram juntos por 40 anos os inimigos de Israel, até que a Nação teve paz. Davi foi rei de Judá por 7 anos e 33 anos rei sobre todo o Israel unificado. Quando seu filho Salomão nasceu, a terra estava em paz e assim ficou durante todo o reinado de Salomão, o rei a quem o Senhor não fez guerreiro como Davi, mas fez dele o homem mais sábio do mundo!
  Nessa época, Natan, o primeiro homem citado na Palavra Sagrada como profeta do Senhor, assistia junto a Davi e depois, junto a Salomão.