Errais por não conhecerdes as Escrituras! - Jesus Cristo

quinta-feira, 2 de março de 2017

As tábuas da Lei, o bezerro de ouro e o castigo de 40 anos



 O Deus de Abraão, Isaque e Jacó escreve com fogo na pedra seus Dez Mandamentos, frente a um perplexo, assustado e ao mesmo tempo maravilhado Moisés...
(Foto ilustração dos Dez Mandamentos de Cecil B. Demille - 1956)






Já ao pé do Monte Sinai (Horebe), o monte santo do Senhor, faltando poucos dias para se chegar ao rio Jordão, que era a linha divisória entre a Terra Prometida a as outras terras, o povo acampou para descansar, enchendo todo o vale, tal era o volume de homens, mulheres e crianças.
 E alí, o Senhor falava com Moisés no alto do monte. O jovem Josué, que sem saber, seria o sucessor de Moisés, seguia ele sempre até a metade do caminho e ali ficava, esperando seu senhor...
  Mas naquele dia especial, Deus mandou que Moisés subisse só e que ninguém, homem ou animal encostasse ao pé do monte, pois iria morrer. E o motivo desta ordem o povo todo viu logo depois que Moisés subiu. Fogo, trovões, som de trombetas e tremor de terra, pareciam sacudir todo o monte. Era a Glória do Senhor que descia ao monte santo para passar as Tábuas da Lei com os Dez Mandamentos, para Moisés e para o povo.
  E Moisés ficou no monte com o Senhor 40 dias e 40 noites e o povo, lá embaixo no acampamento, já começou a imaginar que o líder, profeta, legislador e primeiro juiz de Israel, havia morrido, pois demorava a voltar. E os murmuradores...sempre eles...começaram a perturbar o povo com seu negativismo e daí a pouco todos se voltaram contra um apavorado Aarão, obrigando-o a fazer um ídolo, um bezerro de ouro para ele adorarem como deus deles.
  Aarão não queria, mas tendo milhões de pessoas enraivecidas nos ameaçando, qualquer um de nós iria fazer o que eles mandavam. E assim Aarão fez e colocaram o pesado bezerro num pedestal e começaram a adorá-lo, dançar, festejar e fazer obcenidades em homenagem à figura.
  Lá do alto do monte, o Senhor que tudo vê e ouve e sabe, disse a Moisés para descer, pois havia muito barulho de festa no acampamento. Moisés tomou as duas tábuas da Lei onde fogo do Senhor, vindo do Céu havia escrito seus Dez Mandamentos e desceu para ver o que estava acontecendo.
  Ao chegar próximo à base do monte, Moisés viu tudo o que ocorria e, num acesso de fúria, atirou as tábuas da Lei sobre as pedras do monte, quebrando-as e descendo, estilhaçou o ídolo, jogou seu pó na água e obrigou o povo a beber dela. Então ficou em pé, à entrada do acampamento, e disse: "Quem é pelo Senhor, junte-se a mim". Todos os levitas se juntaram a ele. Então disse Moisés: "Assim diz o Senhor, o Deus de Israel: 'Pegue cada um sua espada, percorra o acampamento, de tenda em tenda, e mate o seu irmão, o seu amigo e o seu vizinho"!
   E assim fizeram os levitas conforme Moisés ordenou, e naquele dia morreram cerca de três mil dentre o povo. Disse então Moisés: "Hoje vocês se consagraram ao Senhor, pois nenhum de vocês poupou o seu filho e o seu irmão, de modo que o Senhor os abençoou neste dia"!
  E Moisés voltou ao monte, onde o Senhor fez novas Tábuas da Lei e Moisés, de joelhos, suplicou que Adonai desviasse sua ira daquele povo rebelde, pois era o povo Dele. O Senhor, como já foi escrito, afastou-se do povo para não destruí-lo, mas disse que ainda iria castigá-los...
  E o castigo definitivo não demorou, pois ao chegar perto de Canaã, Moisés mandou Josué, Calebe e outros junto com eles para explorar a terra e fazer um levantamento geral, principalmente sobre os inimigos que teriam pela frente, até chegar ao local prometido por Deus, que mais tarde, poderemos ver eram todas as terras que circundavam a cidade de Jerusalém, a cidade do Grande Rei.
  Os espiões foram e, quando voltaram, Josué e Calebe viam sorridentes, trazendo às costas enormes cachos de uvas e dizendo que a terra era boa e farta. Mas seus companheiros vieram assustando o povo, dizendo que a terra era perigosa, cheia de gigantes e que eles por certo seriam mortos se entrassem nela.
  Foi o bastante para o Senhor. Os pregadores de fatalidades, morreram ali mesmo, frente ao povo que já havia começado a murmurar contra o Senhor. E, depois desse fato que foi o estopim para irar ainda mais o Todo Poderoso, Ele disse a Moisés que, por aquele acontecimento e pela falta de confiança do povo no seu Deus, somente Josué e Calebe iriam entrar na Terra Prometida e os que tinham menos que 20 anos de idade. Todos os outros do povo iriam percorrer o deserto por 40 anos, não iriam ver a Terra Prometida e iriam andar até cairem mortos no deserto.
  E assim Deus falou e assim foi. Ao fim dos 40 anos, quando toda aquela geração já havia morrido, Moisés já contava com 120 anos de idade. Mas era saudável e seus olhos enxergavam como os olhos de um jovem...