Errais por não conhecerdes as Escrituras! - Jesus Cristo

sábado, 11 de março de 2017

Um povo rebelde

 




  Continuando a sequência do meio do Velho Testamento até seu fim, após juizes começam os livros dos Reis de Israel, que têm início já com um rei Davi velho e fraco e que, antes de morrer, além de passar todo o projeto do primeiro Templo do Senhor em Jerusalém e também material, madeiras, ferro, prata, ouro e tudo o necessário para a construção, também passa o trono para Salomão, seu filho com Bete-Seba em algumas traduções ou Bate-Seba em outras...
  A partir de Reis, vem os livros das Crônicas dos Reis de Israel e na sequência, vem Esdras e Neemias, dois servos de Deus que foram responsáveis pelo construção do 2o Templo do Senhor, já que Nabucodonor, além, de levar o povo israelita escravo, destruiu o primeiro Templo.
  Isso se deu na época da atuação do profeta Jeremias, que insistiu até o fim para o Senhor perdoar o povo, mas este havia irado tanto o Senhor com sua idolatria e demais imundícias, que o Senhor pesou a mão sobre eles para o mal. E por muitos anos o povo de Deus foi entregue ao cativeiro, primeiro com o rei da Babilônia e depois no reino da Pérsia. Ciro, rei dos medos-persas naquela época foi quem libertou vários homens e colocou sob a liderança de Esdras e Neemias e lhes deu tudo de que precisavam em pessoal e material, para que fossem reconstruir o Templo do Senhor.
  De Esdras e Neemias até o livro de Cântico dos Cânticos, que como Provérbios e Eclesiastes, foi escrito pelo rei Salomão, tem vários livros chamados poéticos, como Jó, Salmos e o próprio Cântico dos Cânticos, que saem da linha principal da narrativa das Escrituras Sagradas, até o final do Velho Testamento, que é fechado com o livro dos profetas, que conforme já escrito em outro post, apesar de estarem agrupados no final, a maioria dos grandes profetas, homens santos do Senhor, agiram na época dos reis de Israel.
  Quanto aos livros “poéticos” citados acima, em Jó você encontrará profecia a respeito de Jesus e nos Salmos, muitas, muitas referências do salmista sobre Jesus também.
  Assim explicado, é necessário voltar ao livro de Juízes e aos dos Reis, para conhecermos pelo menos alguns que mais se destacaram no serviço do Senhor. O povo, continua rebelde, sob os juízes ou sob os reis, pois era um povo rebelde. E com isso, virando as costas para Adonai, eles foram enfraquecendo o reino de Israel que àquela época tinha como inimigos principais os moabitas e os filisteus. Mas tiveram muitos outros inimigos e o Senhor, quando o povo se arrependia, levantava um juiz para lutar contra os inimigos.
  Entre os vários juízes de Israel, há narrativas interessantes sobre alguns, não contando aqui os mais famosos, como Josué, Samuel, Gideão e Sansão. Israel teve uma única juiza e sacerdotisa mulher, que foi Débora. Era muito forte e não temia homens e outro juiz que marcou foi Jefté, pela sua coragem e por seu voto impensado, dizendo ao Senhor que, se Ele o ajudasse a derrotar os amonitas, ofereceria em holocausto a primeira pessoa que saísse de sua casa ao seu encontro, quando regressasse.
  Assim, Jefté derrotou o inimigo e, ao voltar, para sua infelicidade, pois não tinha filho varão, quem saiu ao seu encontro em primeiro foi sua única filha. E sabendo disso e vendo o silencioso desespero do pai, a donzela (pois ainda era virgem), animou ele a fazer o que prometera ao Senhor, pedindo um tempo apenas para se despedir da vida ao lado das amigas. Com seu sacrifício, tornou-se costume em Israel, todos os anos, fazer lamentação por quatro dias pela filha de Jefté.
  E, depois dos juízes e dos reis, Deus se afastou daquele povo rebelde e por um bom tempo todo o povo ficou às tontas, sem quem lhe orientasse e assim, cada qual fazia o que achava bem aos seus olhos. Havia muitas guerras com outros povos e até mesmo o próprio povo de Israel acabou lutando entre si por causa de uma má ação dos da tribo de Benjamim...
  Este relato, que está no final do livro de Juízes, também deixa o leitor às tontas, pois fica difícil inserí-lo em qualquer parte, já que após esse fatos horríveis, vem os livros de Samuel e depois, Reis e Crônicas, para depois entrar em Esdras, Neemias e Ester, quando o povo ainda se encontrava escravo em outras terras. Após isso, entram os já citados livros poéticos e depois, finaliza com os profetas...Eu penso que pode ser um curto período entre os juízes e os reis, pois cita-se na Bíblia Sagrada, quando Samuel é levado por sua mãe para o templo, que o sacerdote Eli era um líder frouxo e nem seus filhos o obedeciam e faziam o mal diante do Senhor. Creio eu que só pode ser nesse período, que não se sabe quanto tempo durou, que o povo pecou ainda mais contra o Senhor e foi para a escravidão. Daí só teremos um norte a partir da volta de Esdras e Neemias e com a construção do segundo Templo e a reconstrução de Jerusalém.
  No próximo post, voltaremos aos reis de Israel, suas boas ou más ações e o que fizeram os profetas no reinado deles. Falaremos sobre os reinados depois dos de Davi e Salomão, como o de Asa, Josafá e Jeú, que fizeram o bem diante do Senhor e Acabe, Roboão e a maioria dos outros reis, que fizeram o mal e dos profetas que os enfrentaram como Natan, Elias, Eliseu e outros...